quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Soja fresca

Apesar do Brasil está entre os maiores produtores de soja do mundo, a verdade é que nós, brasileiros, não consumimos soja e nem seus derivados de forma expressiva.

O chinês, por sua vez, praticamente não bebe leite de vaca (e nem de nenhum outro animal) e nem come queijo. Ao invés disso, consome diariamente a soja nas suas mais diferentes formas.

Particularmente, o que eu ainda usava em casa, quando morava no Brasil, era a proteína texturizada de soja e aquelas bebidas à base de soja. Aqui na China isso mudou consideravelmente. Leite de soja, a soja fresca ou seca, e o tofu nas suas infinitas formas, in natura, defumado, empanado e com os mais diferentes temperos viraram parte da nossa rotina. Não posso dizer que abandonamos totalmente os lacticínios, de forma alguma, mas boa parte do que consumíamos antes, deu lugar ao leite de soja, ao tofu e a soja, aqui em casa.

Minha recente descoberta foi a soja fresca. Ela é vendida em vagens, nas feiras e supermercados, e o grão tem a aparência de um feijão verde comum. Para preparar basta cozinhar um pouquinho no vapor e depois refogar do jeito que a criatividade permitir! Bem, o gosto é uma mistura de feijão verde com uma castanha, mais ou menos. Meio difícil descrever um sabor, mas acho que é por aí.

Nos restaurantes chineses e japoneses, o prato é servido como aperitivo. Aqui em casa eu sirvo como acompanhamento. Delicioso, fácil de preparar e tem proteína o suficiente para deixar de fora do cardápio qualquer tipo de carne!

A vagem da soja do jeito que eu compro no supermercado

Cada vagem tem somente três grãos de soja, ela não é longa como a vagem do feijão.

Aqui a soja fresca já cozida e pronta para comer


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Shanghai através dos meus olhos

Sempre que falo, para as pessoas no Brasil, que moro na China, elas me perguntam se eu gosto. Sim, eu gosto. Já gostava de morar em Beijing e agora, em Shanghai, eu simplesmente amo!

A cidade é fantástica! Sem dúvidas, o que mais me encanta nela é a versatilidade. Existe uma Shanghai para cada gosto. Ela pode ser charmosa como Paris, romântica como Veneza, barulhenta como Roma, internacional como New York, excêntrica como o Oriente. Vai depender do que você quer ver, do seu humor, do que deseja explorar!

Levando em conta minha paixão explícita por Shanghai, decidi divulgar mais posts sobre a cidade. Para começar, aqui estão algumas fotos de uma saída simples minha, em um sábado à noite, para uma pizza e um sorvetinho.

As fotos são minhas, são amadoras, mas dá para ter uma idéia de como essa cidade é encantadora! Todas as fotos que tirei foram de paisagens que estavam no meu caminho, algumas delas foram feitas de dentro do meu carro. Não fui a nenhum lugar especial, nenhum lugar de destaque, mas é que a cidade é assim, linda de qualquer ângulo!

Jiang'an Temple


Ao lado desse antigo e tradicional templo existe um moderno e sofisticado shopping center. Os contrastes de Shanghai!

O Templo e o Shopping se misturam um uma única paisagem.





A sofisticação das lojas









Reparem na quantidade de pedestres que esperam o sinal abrir. Eles são tantos que não cabem na calçada e invadem a via dos carros.

Oriental Pearl Tower

The Bund e os seus charmosos prédios










Pudong, a cara do futuro! O prédio alto à direita será o maior do mundo quando concluído!





Pausa para o sorvete!








Peace Hotel. Quem viu Império do Sol? A família do filme do Spielberg ficou hospedada lá durante a invasão dos japoneses.


Dentro do Peace Hotel.


terça-feira, 8 de outubro de 2013

Suzhou

Aproveitamos a semana do feriado nacional chinês para visitar Suzhou, uma cidade que não pode faltar na lista de um turista na China.

Construída em 514 a.c., Suzhou possui 42% de sua área coberta por água. Seus lagos e rios permanecem praticamente intactos por esses mais de 2500 anos. Os canais foram construídos inicialmente para controlar o baixo lençol freático da área e foram amplamente aproveitados para o escoamento da produção da seda, o produto mais rentável da cidade.

A cidade, que está na lista do livro 1000 Lugares Para Conhecer Antes de Morrer, também é famosa por seus imponentes jardins. Hoje, Suzhou mantém cerca de 60 grandes jardins muitíssimo bem preservados. Entre os mais famosos estão o Jardim do Administrador Humilde, Lingering Garden e Garden of Master of Nets.

Definitivamente a China tem lugares maravilhosos para se visitar, porém, explorar cidades turísticas durante um feriado nacional chinês, como fizemos, demanda muita paciência e perseverança, uma vez que os pontos turísticos, por razões óbvias, ficam super lotados. Em Suzhou não foi diferente, como a cidade estava repleta de turistas não conseguimos ver muitas atrações. Pela manhã conhecemos a Beisi Pagoda, o Plum Garden e a Museu da Seda. Após o almoço não conseguimos ver mais nada, ruas lotadas, filas quilométricas, enfim, uma multidão tomou conta da cidade! Voltaremos a Suzhou para visitar os jardins e fazer um passeio pelos canais.

Beisi Ta
A Beisi Pagoda é remanescente de um antigo complexo religioso da Dinastia Song. Com uma altura de 76 m Beisi oferece uma excelente vista de toda a cidade devido ao seu formato octogonal e possuir janelas de acesso para todos os seus lados. As escadas que dão acesso ao topo da torre são antigas, feitas de madeira e muito íngremes. No entanto a vista lá de cima compensa o esforço da subida.

Silk Museum
Do outro lado da rua da Pagoda fica o Museu da Seda. Dá prazer visitar o museu! Bem equipado, bem documentado e com placas em inglês, o Museu conta a história da produção da seda e do seu uso desde o início, por volta de 4.000 a.C. até hoje! A exposição inclui teares do passado, amostras de padrões antigos de seda e uma seção que explica a arte da sericultura. Porém, sem dúvida, a sala mais interessante é a que mantêm bichos-da-seda vivos se alimentando de folhas de amoreira e fiando seus casulos.

Depois das fotos, inclui um vídeo meu pegando num bichinho-da-seda. Precisei me inspirar bastante para conseguir tocar no bichinho, que, por sinal, é mais macio que a própria seda!

Esse é o telhado do portão de entrada da Pagoda


O pátio principal do complexo





O interior da Pagoda e suas escadas


A vista da cidade do alto da torre



Dentro da área da Pagoda existia um pequeno jardim, o Plum Garden. Além do cheiro maravilhosos das flores das ameixeiras, o jardim era tranquilo e aconchegante. Lá existe uma agradável casa de chá à beira do lago, um excelente programa para os adultos enquanto as crianças alimentam os peixinhos do lago.









Dentro do Silk Museum: rota marítima da seda



Sapatos em seda. Reparem no tamanhos dos pés! Esse de salto é o modelo masculino! 

Esse é o modelo feminino para os, felizmente extintos, pés-de-lotus!



Casulos vivos!


Roupa típica feminina em seda

Capas para cadeiras e toalha de mesa para chá em seda

Roupa masculina em seda

Demorou mas eu, finalmente, tive coragem de pegar num bichinho!